Uma sonhadora com o Irã

Filmes

Hoje vou falar de uma amiga dos tempos da faculdade de Comunicação, a Andrea Mendonça, conheci ela no último ano de faculdade, e ela era muito apaixonada por Cinema Iraniano, uma coisa super diferente e também que não é para qualquer um. Muitos anos se passaram e ela finalmente está prestes a realizar seu sonho de fazer um filme no Irã. Admiro a garra e vontade dela desde quando a conheci por esta paixão que está prestes a se tornar realidade!

Conheça um pouco da história da Andrea:

Andrea Mendonça, descobriu o Irã através do Cinema Iraniano, em 1999, quando assistiu dois filmes, primeiro O Balão Branco do Jafar Panahi e logo em seguida A Maçã da Samira Makhmalbaf. Foi como descobrir um mundo novo! Logo se apaixonou e começou a pesquisar sobre o Irã! Ela queria conhecer o máximo sobre o país, a cultura, os costumes, o povo, porque acreditava que somente assim conseguiria realmente entender o cinema iraniano, com um olhar que não fosse totalmente estrangeiro, um olhar sem preconceitos, e ao mesmo tempo, sem deslumbramentos. Um olhar próximo.

Conheceu alguns cineastas iranianos através da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que lhe ensinaram muito sobre cinema e sobre o Irã. Em 2006  dirigiu e editou um curta-metragem “O Meu Olhar” a partir de uma ideia original do cineastas curdo-iraniano Bahman Ghobadi, que circulou diversos festivais de cinema pelo mundo.

Conheceu Mirelli Fernandes Rosa, também diretora do documentário “Azizam”, através de amigos iranianos em comum, e acredita que o interesse em comum pela cultura iraniana as aproximou. Mirelli tem um caso de amor com o Irã, é pesquisadora da cultura iraniana desde 2002, e morou 6 meses no país. Foi idealizadora e proprietária de uma casa de chá iraniana em São Paulo, O Palácio do Shah, onde além da gastronomia, formou um núcleo de pesquisa em arte e cultura persa, que mantém até hoje.

Andrea_Mendonc_a Andrea Mendonça é diretora, produtora e editora de cinema. Pesquisadora da cultura iraniana desde 1999. Ela já dirigiu e produziu o curta metragem Artistas Reunidos (2007); dirigiu e editou os curtas-metragens O Meu Olhar (2007), ½ kg (2014) e Habitar (2015 – em finalização); dirigiu e editou o média-metragem documentário Ocupação Hotel Cambridge (2014). Co-dirigiu e editou com o cineasta britânico Rahim Moledina o longa-metragem documentário I do know my way home (2015) – atualmente em exibição nos festivais de cinema. Trabalhou como produtora e editora em diversas emissoras de TV e empresas produtoras.

MirelliFernandesRosaMirelli Fernandes Rosa é Especialista em Linguagens da Arte, Artes Visuais, Intermeios e Educação. Foi assistente de direção nas montagens O concílio do amor (2004) e Quixote, Dom (2011), ambas no Teatro Escola Macunaíma, e assistente de produção no documentário Sarzamine Football Brazil (2006), de Ali Maddahi. Atua com Novas Mídias e Intermeios, no Coletivo OUI2b. Pesquisadora da cultura iraniana desde 2002, foi co-idealizadora e proprietária de uma casa de chá iraniana em São Paulo, o Palácio do Shah. Viveu no Irã durante seis meses.

O Filme Azizam

teaser02

O filme documentário de longa-metragem Azizam retratará o país Irã sob o ponto de vista de quatro mulheres: duas brasileiras (Andrea Mendonça e Mirelli Fernandes Rosa) e duas iranianas (Roya Fallahi e Sara Najar), a partir de suas histórias, memórias, sonhos e vivências cotidianas. O documentário Azizam pretende mostrar o Irã sob uma ótica poética e bem-humorada, desmitificando a imagem que a mídia cria do Oriente Médio.

POR QUE DAR VOZ ÀS MULHERES?

As diretoras e personagens do filme, Andrea Mendonça e Mirelli Fernandes Rosa, não apresentam um olhar totalmente estrangeiro do país, devido há anos de pesquisas, visitas ao país, ou amizades iranianas. E como mulheres reconhecem a necessidade de dar voz às mulheres iranianas, respeitando a forma como estas enxergam o mundo.

Teaser01

O filme tem a intenção de desmitificar a imagem da mulher iraniana que é divulgada na mídia ocidental, por onde é comum associá-las ao uso da burca e a submissão aos maridos. Porém, no Irã as mulheres são maioria nas universidades. Elas estudam, trabalham, votam e conquistam suas independências. Ressaltando que não se trata de uma ótica deslumbrada do país, e sim de um viés poético-crítico.

Confira o vídeo abaixo:

As meninas precisam de R$65.850,00 para poderem dar início as gravações!

E para ajudar é só clicar no link: https://www.catarse.me/pt/azizam

Lá é possível ajudar com quantias à partir de R$30,00 e ter seu nome nos créditos além de ganhar vários brindes.

Quer saber mais? Baixe aqui apresentação do filme.

Previous Story
Next Story
  • Gabriela Goulart

    Nossa Patty, que interessante! É tão bom ver e conhecer gente que sai da sua zona de conforto e pesquisa assuntos tão “diferentes” do que estamos acostumadas a ver. Meu primo é estudante de cinema e quer ser diretor. Achei bem legal a iniciativa delas e tenho certeza que o resultado será um “tapa na cara da sociedade” pra quem, como você disse, vê o Oriente Médio só pelas lentes da mídia. Quando eu puder vou ajudar com certeza! Esse mês pra mim ainda é de recessão hihi, beijos e boa sorte a elas!

    • Patty

      Interessante né? A Andrea sempre teve essa paixão pelo Irã o que é uma coisa super diferente! Coisa de aquariano! Afinal ela e eu nascemos no mesmo dia! 31 de Janeiro!

      • Gabriela Goulart

        Sim, super interessante! Que legal isso, não sabia que aquário tinha essa característica hihi

  • danihofstadter

    Nossa, que bacana isso! Lembro muito bem da Andrea, e torço muito para que o sonho se torne realidade! Muito sucesso para as meninas!,

    • Patty

      Bem bacana, tinha que ser de aquário!